terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Peças do "Puzzle"



Mário Soares foi o vencedor das eleições. A astúcia e a imaginação do velho estadista permitiram que Fernando Nobre, metáfora de uma humanidade sem ressentimento, lhe servisse às maravilhas para ajustar contas. É a maior jogada política dos últimos tempos. Um pouco maquiavélica. Mas nasce da radical satisfação que Mário Soares tem de si mesmo, e de não gostar de levar desaforo para casa. Removeu Alegre para os fojos e fez com que Cavaco deixasse de ser tema sem se transformar em problema. O algarvio regressa a Belém empurrado pelos acasos da fortuna, pelos equívocos da época, pelo cansaço generalizado dos portugueses e pelos desentendimentos das esquerdas (tomando esta definição com todas as precauções recomendáveis). Vai, também, um pouco sacudido pelo que do seu carácter foi revelado. Cavaco não possui o estofo de um Presidente, nem um estilo que o dissimulasse. Foi o pior primeiro-ministro e o mais inepto Chefe do Estado da democracia. Baço, desajeitado, inculto sem cura, preconceituoso, assaltado por pequenas vinganças e latentes ódios, ele é o representante típico de um Portugal rançoso, supersticioso e ignorante, que tarda em deixar a indolência preguiçosa. Nada fez para ser o que tem sido. Já o escrevi, e repito: foi um incidente à espera de acontecer. Na galeria de presidentes com que, até agora, fomos presenteados, apenas encontro um seu equivalente: Américo Tomás. E, como este, perigoso. Pode praticar malfeitorias? Não duvido. Sobre ser portador daqueles adornos é uma criatura desprovida de convicções, de ideologia, de grandeza e de compaixão. Recupero o lamento de Herculano: "Isto dá vontade de morrer!"
Baptista Bastos

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Escritura de Cavaco omite vivenda em construção há nove meses

Segundo a revista Visão Cavaco Silva entregou a casa Mariani e recebeu a Gaivota Azul, cada uma avaliada pelo mesmo valor de 135 mil euros, em 1998. Mas só declarou, na troca, um "terreno para construção"


Ler mais

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Condicionamento de transito na Marechal Gomes da Costa

A partir de hoje, os lisboetas já estão a sentir os efeitos das obras para as vias de alta velocidade ferroviária (TGV).



A Câmara Municipal de Lisboa decidiu condicionar o trânsito, por quatro meses, nos dois sentidos da Avenida Marechal Gomes da Costa, entre o viaduto do Xadrez e o cruzamento do Batista Russo.
De acordo com o Diário Económico desta quinta-feira, também o trânsito na Avenida de Pádua, entre a Rua da Centieira e o Passeio do Báltico, será condicionado, nos dois sentidos e de forma alternada, durante cinco meses.
A mesma fonte refere ainda, que, apesar de não se saber se o TGV vai avançar, as obras no terreno visam adaptar a linha do Norte e a linha de Cintura Interna à rede de alta velocidade ferroviária.



terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Plano Pormenor da Matinha: Adiada votação na assembleia Municipal

A Discussão do Plano de Pormenor da Matinha na Assembleia Municipal de Lisboa  foi hoje suspensa sob pena do Plano  ser chumbado.
Após várias horas de discussão, a Assembleia Municipal de Lisboa decidiu adiar a votação deste Plano no sentido de evitar o seu provável  chumbo, podendo assim ser analisado  novamente e receber propostas de melhoria. O empenho do presidente da Câmara, António Costa, na defesa deste Plano levou a que a AML colocasse  a possibilidade de se   não votar nesta sessão o Plano,  sob pena de  poder vir a ser chumbado.
Aguardam-se agora  alterações ao Plano por parte das várias forças politicas representadas na Assembleia Municipal, para uma  posterior colocação a votação.

Suspeitos de afundarem finanças islandesas começam a ser detidos.

Dois ex-directores do banco islandês Kaupthing, nacionalizado de urgência em 2008, foram presos esta quinta-feira. Mas a lista de possíveis detidos envolve mais de 125 personalidades, segundo a imprensa. Os directores de bancos islandeses que arrastaram o país para a bancarrota em finais de 2009 foram presos por ordem das autoridades, sob a acusação de conduta bancária criminosa e cumplicidade na bancarrota da Islândia.
Os dois arriscam-se a uma pena de pelo menos oito anos de cadeia, bem como à confiscação de todos os bens a favor do Estado e ao pagamento de grandes indemnizações.
A imprensa islandesa avança que estas são as primeiras de uma longa lista de detenções de responsáveis pela ruína do país, na sequência do colapso bancário e financeiro da Islândia.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Nós, informamos

Cerca de 22 milhões de euros foram investidos nos últimos três anos em obras nas casas do Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), um investimento que até 2012 deverá chegar aos 55 milhões.
Este trabalho, inclui a reparação ou substituição de coberturas, impermeabilizações e isolamentos, tratamentos de betão da estrutura, pinturas e substituição de caixilharia, portas, redes de água, esgotos e gás, entre outras intervenções.
«As intervenções estão a ser feitas por blocos nos bairros. Já no ano passado foram feitas obras no Bairro Rosa, em 492 casas do núcleo Sul, em Almada, no Bairro das Amendoeiras Lote 1 (82 fogos), Lote 15 (70 casas) e Lote 35 (46 fracções), em Lisboa, no edifício da Rua do Largo, em Almada, 12 fogos. Em fase inicial de execução estão as intervenções noutros 517 fogos do Bairro das Amendoeiras, em Lisboa.
700 casas em obras em 2011
Para início de obra no primeiro semestre deste ano estão programadas intervenções num total de quase 700 casas espalhadas pelos bairros do Zambujal, na Amadora, em 326 fogos, e das Amendoeiras, em 208 casas.



segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Por mais loucos que eles sejam

"Não respondo aos outros candidatos"

BREVEMENTE: NO PALCO ORIENTAL


.
.
 
.

Não havia necessidade.

.
Cavaco já distribui propaganda nos bancos?
Sim. Ele sempre se deu bem com os banqueiros.
.

Saiba como conseguimos aqui.
.


"Esta declaração de Cavaco, na qual aconselha uma senhora desesperada a procurar uma Instituição Particular de Solidariedade Social, talvez seja o momento político mais clarificador da campanha presidencial.

Cavaco demarca-se do Estado – como se o Presidente da República e as suas três reformas fossem pagas por incertos, e empurra a cidadã para as Instituições Particulares – que o Estado só deve servir para pagar as aventuras dos seus boys".

Tiago Mota Saraiva, Cinco Dias.
.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O silêncio ensurdecedor.
.
.

Marvila merece um minibus

É urgente acabar com as barreiras que ostracisam uma parte da população da freguesia. Ligar a zona velha de Marvila à restante freguesia e aumentar a mobilidade dos seus residentes é a principal vantagem deste projecto.
.
Numa freguesia tão extensa faz todo o sentido a existência dum circuito interno de minibus que sirva a todos, mas sobretudo os mais idosos e a população escolar, nas suas deslocações à(s) escola(s), Feira Nova/Loja do Cidadão, posto dos correios, centro(s) de saúde, IPSS, aos espaços desportivos, recreativos ou culturais, às estações de comboio e metro.
Alargar a carreira n.º 39 da Carris, transformando-a numa carreira de circuito interno seria uma óptima solução para a população residente na zona mais antiga de Marvila. A junta de freguesia tem competências neste domínio, pelo que não se percebe a sua indiferença face aos problemas de mobilidade desta polulação.
.

Emel vai duplicar valor das tarifas


O novo regulamento, aprovado anteontem na Câmara Municipal de Lisboa, extingue a tarifa única de estacionamento e prevê a divisão da cidade em duas coroas: uma interior, no centro, onde o preço duplica, e uma coroa exterior, em zonas mais residenciais, onde estacionar será mais barato.

O importante aqui é contestar sobretudo a duplicação da tarifa e não permitir que  venham parquimetros para zonas residenciais das freguesias limitrofes (Marvila, Olivais etc).
.

Eurostat revê em baixa crescimento de Portugal

O gabinete de estatística europeu divulgou hoje as segundas estimativas para a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) dos países-membros, que mostram que a economia da zona euro progrediu 1,9% entre Julho e Setembro de 2010, face a igual trimestre do ano anterior, enquanto nos 27 acelerou 2,2% nesse período. Estes números estão em linha com as estimativas avançadas inicialmente pelo Eurostat.

O crescimento de Portugal foi revisto em baixa, de 1,5 para 1,4.
.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Alienação de fogos no Bairro do Condado.


É intenção da Câmara Municipal de Lisboa vir a alienar os seguintes lotes no Bairro do Condado. Caso a proposta seja aprovada serão estes, em principio, os lotes a alienar:

- Engº Cunha Leal: 517; 518; 582; 589; 590A; 590B; 591; 592; 593; 594; 595; 596; 597A; 597B; 598 599;
- Alfredo Duarte Marceneiro: 574A; 574B; 575; 576; 577;
- João Paulo II: 535; 562;
- Dr. Fernando Amado: 573.
.

Ainda há estouvados


É certo que a corrida aos automóveis tem subjacentes argumentos de alguma racionalidade económica, como o agravamento fiscal em 2011 ou o fim do subsídio ao abate de carros velhos; mas nem isso chega para explicar o incontrolável apelo consumista que tornou imperiosa a compra de 228 mil carros novos num ano (2,2 por cada 100 habitantes).

Os portugueses limitaram-se a repetir um vício entranhado em década e meia de facilitismo: esgotar as poupanças e pedir empréstimos para ter um carro novo. Nada indica que este padrão de luxúria consumista se mantenha em 2011; mas o que já se sabe do ano que acabou não é tranquilizador.
.
Os programas de estabilidade e crescimento, o Orçamento do Estado mais restritivo dos anos da democracia ou sucessivas ameaças de que Portugal está perto de ter de pedir ajuda externa para poder pagar o que deve não foram, aparentemente, suficientes para alterar hábitos. E sem novos hábitos, será impossível vencer a crise.
in Publico
.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Mais virtudes que defeitos

.
Era oriundo de famílias aristocráticas e descendente de flamengos. O pai deixou de lhe pagar os estudos e deserdou-o. Trabalhou, dando lições de inglês para poder continuar o curso. Formou-se em Direito. Foi advogado, professor, escritor, político e deputado. Foi também vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Foi reitor da Universidade de Coimbra. Foi Procurador-Geral da República. Passou cinquenta anos da sua vida a defender uma sociedade mais justa. Com 71 anos foi eleito Presidente da República. Disse na tomada de posse: "Estou aqui para servir o país. Seria incapaz de alguma vez me servir dele..."
.
Recusou viver no Palácio de Belém, tendo escolhido uma modesta casa anexa a este. Pagou a renda da residência oficial e todo mobiliário do seu bolso. Recusou ajudas de custo, prescindiu do dinheiro para transportes, não quis secretário, nem protocolo e nem sequer Conselho de Estado. Foi aconselhado a comprar um automóvel para as deslocações, mas fez questão de o pagar também do seu bolso. Este Senhor era Manuel de Arriaga e foi o primeiro Presidente da República Portuguesa.
.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011